Lugar reservado aos meus pensamentos, histórias, homenagens, artesanatos, coisas úteis ou não, e minhas bobagens!

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Aprendizagem

E hoje acordei alegre demais, quinta-feira, final de semana chegando e dia de ver pessoas especiais, mas dai vi algo no Facebook que me entristeceu. Mas depois me deu pena. Pessoas tentando comprar um amor com dinheiro (brinquedos, roupas etc.)

Estou aqui pensando, não lembro dos melhores presentes que ganhei, não lembro das coisas boas (materiais) que tive na infância e nem sinto falta disso. Mas lembro com todos os sentidos as brincadeiras no gramado da casa da minha nona (vó materna), pé sujo de terra vermelha, cheiro de mato e das frutas, dos sabores dos morangos plantados por ela (ela plantava só porque achava lindo mas não gostava de morangos), jabuticabas, goiabas, ameixas e mexericas. Lembro de brincar na escada da casa da minha avó paterna de acertar a mão que tinha a folhinha arrancada da flor. Tentar ver o que as nuvens formavam e São Jorge na lua cheia. Eram coisas simples que me enchem de saudades.

Nós nascemos simples, com pensamentos simples e valorizamos isso quando criança. Depois vamos crescendo e valorizando coisas bobas e ruins. Tentamos comprar amor com presentes. Eu preciso urgentemente colocar isso na minha cabeça e quando eu tiver filho ensinar isso tudo. Mostrar o quanto podemos ser felizes com pequenas coisas.


Essa foto foi tirada no sítio da minha Bisavó Marina no domingo. O que sobrou da casa que era dela, o chão de tijolos ainda. Fomos numa festa perto e passamos por lá, pois meus primos queriam matar saudades da infância que tivemos lá. Amava ir lá, e achava muito engraçado minha mãe ter que falar para a Bisa: "Nona, eu sou a Zilda de Mirto, e essas são os meus filhos". Hoje eu entendo a explicação: a bisa com seus lindos olhos azuis que não serviam para muita coisa, além de enfeitar seu rosto.Brinquei muito do lado do poço de água com grãos de milho, ou balançando na rede ou ainda molhando os pés no riachinho no final do sítio. Doces lembranças eternizadas por um perfeito computador que é nosso cérebro.

Beijos

2 comentários:

✿ chica disse...

Que pena que tem tanta gente que não se dá conta da beleza dos pequenos momentos e coisinhas simples! Linda foto! beijos,tudo de bom,chica

Mauro S disse...

Oi Karina, sempre bom recordar e estar em família, salvar pequenas lembranças. Beijos.