Lugar reservado aos meus pensamentos, histórias, homenagens, artesanatos, coisas úteis ou não, e minhas bobagens!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Uma Arte - Elizabeth Bishop

Ontem assistindo o programa "Em Pauta" da Globo News, o jornalista Jorge Pontual, diretamente de NY- EUA, declamou um poema. Me apaixonei! Fui até o blog dele e encontrei, já o avisei que estou postando aqui. Para quem quiser ler mais poemas traduzidos por ele, é só clicar aqui.

Uma arte
Elizabeth Bishop

A arte da perda é fácil ter;
por tanta coisa cheia de intenção
de ser perdida não dá pra sofrer.

Perca algo todo dia. Perder
chaves aceite, junto com a aflição.
A arte da perda é fácil ter.

Treine perder muito sem se deter:
lugares, e nomes, a comichão
de viajar. Nada fará sofrer.

Perdi jóias da mamãe. E dizer
que perdi casas que amei de paixão.
A arte da perda é fácil ter.

Perdi duas cidades. E o prazer
de um continente na palma da mão.
Sinto falta mas não dá pra sofrer.

- Até perder você (a voz, o ser
que eu amo) não devia mentir. Não,
a arte da perda se pode ter
embora pareça (diga!) sofrer.

tradução, Jorge Pontual

Original: One art

The art of losing isn't hard to master;
so many things seem filled with the intent
to be lost that their loss is no disaster,

Lose something every day. Accept the fluster
of lost door keys, the hour badly spent.
The art of losing isn't hard to master.

Then practice losing farther, losing faster:
places, and names, and where it was you meant
to travel. None of these will bring disaster.

I lost my mother's watch. And look! my last, or
next-to-last, of three beloved houses went.
The art of losing isn't hard to master.

I lost two cities, lovely ones. And, vaster,
some realms I owned, two rivers, a continent.
I miss them, but it wasn't a disaster.

-- Even losing you (the joking voice, a gesture
I love) I shan't have lied. It's evident
the art of losing's not too hard to master
though it may look like (Write it!) a disaster.

Elizabeth Bishop, 4 de novembro de 1975

Escrito por Elizabeth Bishop, 04 de novembro de 1975. Traduzido para o português por Jorge Pontual jornalista. Retirado de: http://nyontime.blogspot.com.br/2005/06/uma-arte-elizabeth-bishop.html

3 comentários:

✿ chica disse...

Muito linda essa poesia! Belo compartilhamento,Karina!

um beijo,tudo e bom,chica

Nana disse...

Muito bonito! Eu adoro assistir esse programa também!!!
Bj e fk c Deus.
Nana
http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

Samuel Balbinot disse...

Boa noite Karina.. fico feliz que tenha gostado do meu blog.. tenho coiss muito boas para te passar..
por gentileza me mande um email se desejar.. mandarei links e livros a vc.. amanha ou quando mandares a mim
lapidandoversos@gmail.com
falo mais sobre algumas coisas com vc no email
beijos e ótima noite